nov 28, 2017 / por Ricardo Ventura / Nenhum Comentário

Existe um jeito de descobrir como uma pessoa está mentindo. Um jeito fácil e simples e que está na cara. Isso mesmo! Existe uma forma de descobrir se uma pessoa está mentindo por meio de suas expressões faciais.

E isso não é uma habilidade ou poder especial. É simplesmente um estudo profundo das nuances do nosso rosto. Uma técnica que você aprende com muito estudo e atenção.

Mas o mais importante é tentar entender que encontrar essas mentiras pode ser uma ferramenta cotidiana. Seja para descobrir se aquele vendedor está falando a verdade ou se seu filho está sendo sincero. As vezes, são pequenas mentiras inocentes, mas que estão ali para te enganar, e você não quer ser enganado.

Para encontrar esses detalhes é preciso apenas um pouco de conhecimento em Programação Neurolinguistica (PNL) e muita atenção, nada muito complicado, mas que faz uma diferença incrível.

Entendendo as expressões faciais

Antes disso, é importante entender esse conceito de expressões faciais, ou microexpressões faciais. E de modo simples é exatamente isso que o nome quer dizer, os movimentos que sua face faz para expressar um sentimento.

O que muita gente não sabe é que isso acontece o tempo inteiro e, na enorme maioria do tempo, é completamente involuntário, servindo como reflexo do cérebro para algo que ele está sentindo naquele momento.

E mais: pode não parecer, mas você está realmente acostumado com essas expressões, já que qualquer pessoa, quando se exalta, fica nervosa ou perde o controle, deixa essas microexpressões deixarem de ser “micro”. E não se engane, você conhece todas elas!

De acordo com o psicólogo Paul Ekman  existem sete microexpressões básicas: nojo, raiva, medo, tristeza, alegria, surpresa e desprezo. É da junção disso e de uma interpretação do que está sendo falado que você consegue encontrar as mentiras.

E cada uma dessas expressões faciais movimenta ou distorce uma parte específica do nosso rosto, e só prestando muita atenção e treinando que você irá identificar cada umas dessas mudanças. Aqui mesmo, eu já escrevi como todas essas microexpressões aparecem no rosto!

Mas o que queremos é tentar entender como isso funciona na prática!

Estudo das Expressões Faciais

A primeira dica de todas é bem simples: é preciso tentar relacionar o movimento corporal com aquilo que está sendo dito. Muitas vezes, é muito fácil identificar quando, por exemplo, alguém está falando algo que era para ser feliz, mas seus olhos caídos apontam a tristeza.

E isso porque a gente mente, engana e tenta contar uma história diferente da realidade, mas nosso subconsciente não sabe fazer nada disso. Ele simplesmente manda “para fora” sinais daquilo que está sendo sentido de verdade.

Muitas vezes, respondemos “não”, fazendo “sim” com a cabeça. E isso é apenas a ponta do iceberg de problemas que nosso subconsciente nos afunda quando tentamos mentir.

Diante disso, é fácil descobrir uma mentira quando percebemos que ninguém consegue conter suas emoções. Uma história triste vem sempre acompanhada de um semblante triste e nunca de um sorriso no rosto.

E não tem como fugir disso. Mesmo quando você tem uma história verdadeira, na hora daquele escorregão, daquele ponto onde é melhor cobrir a verdade com uma mentirinha, seu cérebro vai te denunciar. E isso acontece, justamente, porque você vivenciou aquilo, tanto visualmente, como auditivamente e emocionalmente. O que você passou está bem claro em seu subconsciente e é dali que ele tirará a chave para a microexpressão que irá usar.

Por fim, uma dica bem prática, a da língua, ou como eu gosto de chamar, “boquinha da vergonha”. Aquele momento comum onde a língua parece tentar rapidamente fugir de dentro da boca. Quase sempre isso quer dizer que ali, naquele momento do discurso, há algo que não está tão claro para o subconsciente.

Mas é bom lembrar que decorando aquelas expressões faciais e entendendo como tudo funciona diante do subconsciente, ainda assim isso não é uma fórmula mágica para descobrir essa mentira, é preciso tentar entender o cenário total. Um movimento isolado não é uma certeza, não adianta analisar apenas um trecho, é preciso entender todo o discurso.

É preciso treinar muito. Assim como é preciso saber que todo mundo mente, suaviza ou romantiza alguma situação. Por isso, concluir uma mentira é algo que deve ser feito com cuidado e sempre partindo da certeza de ser o resultado de muito estudo e atenção. Mas não esqueça: se tem alguém mentindo para você, você pode sim encontrar essa mentira simplesmente através de suas expressões faciais.

Mentoria para Treinadores e Palestrantes

Apenas 10 alunos por sala clique aqui

Comentar via Facebook