dez 01, 2017 / por Ricardo Ventura / Nenhum Comentário

Se existe alguém que não sabe mentir é sua mente! A sua boca até consegue, mas, lá no fundo, sua mente sempre dá dicas de que aquilo que está sendo dito não está tão certo. E ela tem um forma de externar isso: através de seu rosto e suas microexpressões.

Uma comunicação muito suave, rápida e quase imperceptível! Cada detalhe do seu rosto, cada pequeno movimento, olhar ou piscadela podem ter um significado gigantesco. Identificar isso é um dos primeiros passos para entender quem está ou não mentindo.

Essa linguagem é a porta de entrada para um estudo complexo sobre como seu corpo reage a estímulos, tantos exteriores, quanto mentais, já que, nesses momentos de hesitação, eles entram em um pesado conflito em busca da verdade.

Entendendo as expressões do rosto

Mas é importante esclarecer que, mesmo sendo involuntário, seu rosto obedece a uma série de estímulos coerentes com aquilo que seu cérebro está sentindo e quer demonstrar. E isso não é tão invisível assim!

É muito fácil identificar esses padrões. Quase sempre os usamos para demonstrar esses sentimentos quando queremos, por exemplo, que todos saibam que estamos com nojo ou raiva.

A questão das microexpressões é que elas usam isso de modo muito sutil e quase imperceptível. O psicólogo Paul Ekman catalogou-as em sete universais e facilitou o entendimento da área. Sendo elas: nojo, raiva, medo, tristeza, alegria, surpresa e desprezo.

O desafio agora é conseguir identificar todas essas sete expressões no rosto das pessoas enquanto está conversando!

O seu rosto em sete expressões básicas

  • Nojo – Talvez, a mais fácil de ser identificada, já que concentra seus movimentos na boca e no nariz, que fica enrugado e puxa para cima o lábio superior deixando a boca ligeiramente aberta. Em muitos casos, a mesma expressão no rosto ainda é usada para a simples desaprovação.
  • Raiva – Preste atenção nas sobrancelhas. Normalmente, elas ficam rijas, quase se juntam. Essa força faz sua testa franzir e todo o rosto tensionar. Na boca, seus lábios se separam e os dentes apertam em uma mordida com força.
  • Medo – No oposto da raiva, suas sobrancelhas sobem, seus olhos ficam arregalados e a boca fica solta e vazia, como se tudo estivesse mole em seu rosto.
  • Tristeza – Talvez essa seja a microexpressão mais difícil de esconder. Por isso é tão fácil descobrir quando alguém está triste. Suas sobrancelhas parecem apontar para cima, comprimindo os olhos pelo lado, assim como sua boca se deixa cair nos cantos.
  • Alegria – Preste atenção nos olhos e na boca, mais precisamente em suas “ruguinhas”. Os olhos arregalados vêm sempre com aquelas pequenas marcas de expressão conhecidas como “pé de galinha”. Enquanto na boca, aquela linha sobre o nariz surge com mais força acompanhada de uma outra na lateral do rosto, tudo acompanhando o sorriso.
  • Surpresa – Praticamente igual aos movimentos do medo, a surpresa movimenta os mesmo músculos e cria quase as mesmas microexpressões, mas aqui um pouco mais duras e arredondadas. A boca com um formato mais circular e os olhos ainda mais abertos com a sobrancelha circundando-os.
  • Desprezo – Enquanto todo o resto permanece praticamente imóvel e sem expressão, existe na boca sempre um cantinho dela que sobe em uma espécie de meio sorriso arqueado.

Mentoria para Treinadores e Palestrantes

Apenas 10 alunos por sala clique aqui

Comentar via Facebook