O convencimento é uma arma que todos que pretendem fazer com que suas ideias cheguem a outras pessoas precisam saber lidar. O poder da persuasão é o jeito mais efetivo de fazer com que a comunicação se perpetue.

Cada decisão e possibilidade precisa ser muito bem pensada. As portas que elas abrem são caminhos poderosos na hora de influenciar as pessoas. A resposta positiva é o fim de um esforço que começa muito antes do “sim”.

Ainda mais em um mundo onde o autoritarismo de pensamentos exerce um poder tão grande na sociedade. Fugir disso e não ser engolido por essa máquina, conseguir ditar os rumos sem que as forças maiores estejam comandando e, por fim, influenciar do melhor jeito, são possibilidades que só existem graças a essa possibilidade de convencer e se fazer entender.

Seja você um político, comerciante, vendedor ou apenas alguém tentando ser único em suas ideias, é a persuasão que nos permite sermos nós mesmos e não aquelas pessoas que o cenário ao nosso redor quer que sejamos. Resistir às influencias e continuarmos seguindo o caminho que escolhemos.

Desenvolvendo essas ideias e capacidades de persuasão está o psicólogo americano e professor da universidade do Arizona, Robert Cialdini. Conheça então 7 lições que ele vem defendendo em seus estudos sobre O Poder da Persuasão!

O Poder da Persuasão: Descubra 7 lições do Cialdini!

7 lições sobre o poder da persuasão

  • Persuasão pela reciprocidade – O ser humano gosta de ser pago na mesma moeda que pagou. Portanto, lembre sempre daquele ditado popular que diz que “devemos tratar as pessoas do mesmo jeito que gostaríamos que fossemos tratados”. Dê em troca antes de receber, faça com que a pessoa sinta ter uma dívida com você.
  • Trabalhe a escassez – Entenda que as pessoas não gostam de perder uma oportunidade, então, quanto mais raro for aquilo, mais fácil dela se interessar, afinal, pode ser a última chance. Cialdini aponta que “a perda é a forma extrema de escassez”, então se houver a impressão que aquilo pode ser deixado para trás, é bom garantir o seu.
  • Comprove através da sociedade – O meio que mais nos influencia é aquele em que já estamos. Se você vê alguém próximo a você fazendo algo, já aceita que aquilo é algo interessante. Quando você tem uma dúvida sobre algo, procura saber se as pessoas que estão ao seu redor o fazem. Você quer sempre saber o que todos estão fazendo para fazer o mesmo.
  • Autoridade – Estamos em um período repleto de informações, praticamente saturado, portanto, se sobressair dentro desse cenário é quase um trabalho impossível se você não tiver algo diferente a seu favor. É ai que entra em cena a expressão “especialistas”. O ser humano ainda confia mais em uma autoridade. Se tornar uma autoridade comprovada no assunto te faz sair na frente. E não estamos falando apenas de diplomas, mas de conteúdo, argumentação e, é claro, comprovação social.
  • É preciso ser consistente para influenciar – As pessoas se comprometem melhor quando aquilo é feito de modo consistente. As palavras não valem tanto quanto os termos de responsabilidade. Quando alguém estabelece esse compromisso de modo a todos conseguirem ver, ela, muito provavelmente, irá cumprir com muito mais eficiência do que aquelas que só falam.
  • Criar afinidadeFreud já falava sobre o quanto estamos sempre indefesos diante de um elogio, é mais fácil gostar de quem gosta da gente. Portanto, para criar essa ligação de aproximação, o melhor a fazer é entender que criar uma afinidade sincera pode render os melhores frutos.
  • Afeição – A partir da afinidade e da reciprocidade, é possível criar uma figura semelhante. E o parecido sempre atrai o semelhante. Quando você compartilha gostos, quase sempre traz para perto de você àqueles que acreditam que você está fazendo o certo. Seus amigos são sua principal arma para influenciar.