Mais cedo ou mais tarde, todo mundo precisará lidar com a necessidade de fazer com que uma ideia ou produto seja vendido. Entender como manipular e persuadir milhares de pessoas pode parecer algo exagerado, mas acredite: não só é possível, como é fácil.

É lógico que não estamos falando de mágica, mas estudo, sensibilidade e, acima de tudo, muito trabalho duro. Portanto, não caia na armadilha de que é preciso nascer sabendo ou que tudo pode ser tirado de uma cartola. É sua experiência e capacidade de se adaptar que fará a diferença.

Persuadir não vem com uma fórmula, não é matemática e nem é uma lista de dicas onde você vai dando “OK” ao lado de cada linha dessa planilha. Convencer passa por entender cada pessoa e usar técnicas e possibilidades diferentes para cada uma. Persuadir é se adaptar.

Entenda como funcionam esses processos de persuasão, como é possível trabalhar com eles e, principalmente, quais possibilidades você tem em mãos para manipular as opiniões dos outros e convencer todos daquilo que você está interessado em fazer, caminho seguir ou situação influenciar.

Descobrindo com manipular e persuadir milhares de pessoas

A primeira lição que você deve aprender é que não é você que decide nada, mas alguém que vive dentro de sua cabeça: seu cérebro. Muita gente divide sua mente em três: a parte que decide, a parte que faz você achar que foi você que decidiu e ainda aquela parte que tem certeza que racionalizou tudo e acha que tomou as decisões.

Todas nossas decisões são tomadas por nosso subconsciente, mas nosso consciente é manipulado para parecer que é ele quem está no controle. Imagine aquela boa e velha alegoria envolvendo um iceberg, a parte que você vê é seu consciente, os 90% que estão embaixo da água gelada, compões o seu subconsciente.

Entender essa dinâmica e saber influenciar e manipular essa dinâmica faz com que o consciente nem ao menos ache que está sendo influenciado por seus esforços. O segredo está na sutileza, mas também está na capacidade de lidar com essas ferramentas.

O subconsciente é primitivo, portanto, é uma ligação que permeia os seres humanos de modo mais enterrado nas mentes. A reação pode ser própria, mas os botões a serem apertados, quase sempre são os mesmos.

Por isso, quando você percebe que consegue influenciar e persuadir, sua esposa, seu marido ou seu filho, talvez nem perceba, mas consegue fazer o mesmo com seu chefe, algum cliente ou qualquer outra pessoa.

Quanto mais você conhece o funcionamento de seu cérebro e as possibilidades de explorar isso para manipular e persuadir as pessoas de modo mais eficiente, mais fácil você conseguirá obter o que quer de qualquer um à sua volta.

Aprenda como manipular e persuadir em todas situações

O primeiro passo para usar o cérebro dos outros a seu favor é entender que ele não vai ficar parado esperando ser influenciado. Seu cérebro precisa tomar uma série incontável de decisões diariamente. Mais ainda, a cada segundo que passa, mais decisões precisam ser tomadas e caminhos escolhidos, e quase todas elas são feitas inconscientemente.

Imagine que você está tomando uma xícara de café, enquanto seu cérebro envia o comando mais amplo, cada micro ação que não permite que o líquido fique jogado na sua cara e a xícara seja arremessada na parede, tem a ver com consciência geográfica, força, altura etc., se você não se sujou todo nenhuma vez, provavelmente seu cérebro funcionou sem você perceber.

Essas decisões, depois de aprendidas e repetidas à exaustão, ficcam na responsabilidade do subconsciente, deixando espaço para sua mente se preocupar com outras coisas. Assim como deixam espaço para seu consciente achar que está nas rédeas.

Quando você consegue se encaixar nessa faixa onde as decisões são realmente tomadas, persuadir se torna uma possibilidade real e eficaz. Encontrar os padrões de reação e apontar suas reais intenções é o que te ajuda a tornar a persuasão e manipulação uma ferramenta que você possa usar a seu favor.

Mas, afinal, como manipular na prática?

O primeiro passo para persuadir alguém talvez seja o mais óbvio, mas nem por isso o menos eficaz: Encontre uma razão para persuadir. Se você não apresenta uma razão para tentar convencer a pessoa, ela, muito provavelmente, nem perderá tempo pensando a respeito.

Um simples “posso passar na sua frente” na hora de tentar ser atendido em uma lanchonete não deve te levar para nenhum lugar, mas um “posso passar na sua frente, porque estou atrasado e preciso correr de volta para o escritório”, talvez faça você pensar a respeito.

Seu subconsciente procura razões e racionalizações para enxergar um padrão diante de outras experiências. Quando você já entrega uma razão para a tentativa de persuadir, faz com que toda dinâmica inconsciente seja mais eficiente, desde o nascimento da ideia.

Outro modo eficiente de influenciar e persuadir é, justamente, atrelar essas razões a algum tipo de autoridade no assunto. É fácil fazer com que seu filho te obedeça, já que você representa essa autoridade para ele, mas imagine que você precisa fazer o mesmo com seus companheiros de trabalho, chefes e clientes.

Portanto, leve com você os melhores argumentos que provem que sua proposta faz sentido. Demonstre o quanto aquilo que você está falando faz sentido e pode ser levado em conta. Mostre os seus resultados e sua eficácia. Quando você não fez aquilo pela primeira vez, então é melhor mostrar o quanto já foi bem-sucedido.

Mas não ache que esse é um trabalho feito ali na hora do primeiro contato, é preciso construir essa autoridade. Cada encontro e oportunidade pode significar uma peça desse quebra-cabeças, e quando a pessoa montar ele todo, vai perceber que você está bem no meio dele.

Ainda nesse assunto, estude, entenda e não tenha medo de citar. Se alguém está fazendo isso muito bem e ensinando, se todos conhecem, então cite, não tenha medo da referência. Prove que conhece o tema através de quem já deixou claro que tem conhecimento do assunto.

Indo para o caminho contrário, com muito menos sutileza e mais clareza, se quer que alguém te entregue algo com qualquer tipo de valor, tente antes fazer o mesmo. O ser humano se sente confortável retribuindo favores. Um presente ou uma lembrança, quase sempre abrem uma porta que pode ser ultrapassada pela sua vontade de persuasão.

Lembre daquela vez que você ganhou um presente bacana de um amigo e levou isso em conta na hora de dar um presente para ele? É exatamente a mesma linha de raciocínio, você se importa de retribuir o tamanho do favor inconscientemente.

Portanto, ofereça algo, seja uma facilidade, seja uma promoção ou algum tipo de exclusividade, faça com que a pessoa sinta que está ganhando algo e faça ela achar que é obrigada a também lhe dar algo.

Por isso é tão importante manter esse relacionamento o mais simples possível. Quanto mais clara e transparente for a narrativa que você colocar em jogo, mais facilmente os lados entenderão sobre o quê você está falando. E acredite: todo mundo gosta de uma boa história e elas sempre são o caminho mais rápido em direção à persuasão.

Tudo isso não vai servir de nada se você não mantiver uma coerência. Confirmar sempre que um compromisso faça sentido. Quando você promete algo, fica sempre uma força te empurrando par manter a coerência dessa promessa. E quando isso de um lado faz sentido, irá se estender para tudo relacionado.

Persuadir, convencer e manipular acontece diante sempre da capacidade de entender demandas e possibilidades, conhecer as ferramentas e mecanismos, entender a dinâmica e fazer com que tudo isso esteja a seu favor. A capacidade de persuadir não vem de conseguir repetir uma dessas dicas, mas de entender como elas funcionam e adaptá-las para o momento necessário.

Cedo ou tarde você precisará persuadir alguém, portanto, é melhor que você esteja preparado para esse momento e não deixe nenhuma oportunidade passar por entre seus braços.