Convencer as pessoas é um trabalho complicado e que deve ser compreendido. Entender como persuadir uma pessoa inconscientemente é importante para saber onde você está pisando. Seja na vida profissional, pessoal, conversas de bar ou até na hora da sedução.

Quando alguém não percebe que está sendo manipulado, quase sempre acaba perdendo a chance de levar as verdadeiras vantagens que essa situação cria. E não se engane, todos estão tentando te persuadir a fazer algo. Seja na propaganda, seja nas pessoas que convivem com você.

Todas essas situações são comuns e irracionais. Talvez você não saiba que está tentando convencer, muito menos perceba que está sendo persuadido. E talvez o maior segredo desse jogo esteja justamente nesse lugar.

São milhões de processos que seu cérebro precisa encarar. O racional fica um pouco para trás. Encaixar seu planejamento nesse local e fazer com que sua vontade seja levada em conta, mesmo sem ser claramente entendida é o truque que facilita toda essa relação.

Uma palavra, um gesto, uma posição, qualquer coisa pode ser o detalhe necessário para que um detalhe se torne a chave para essa persuasão. Inconscientemente, é difícil entender essa dinâmica, mas nem por isso você deve ignorar a existência disso. Encaixar isso no processo de comunicação faz com que cortar caminho na mente não seja ser enganado ou enganar.

Aprenda como persuadir espelhando

Um jeito de criar esse elo inconsciente é tentando se tornar a pessoa que você pretende persuadir. Não copiar, mas criar uma ligação de conforto e confiança que faz com que ela se sinta à vontade com qualquer coisa que você oferecer.

Seus gestos falam mais do que qualquer palavra. Antes de sua mente racionalizar tudo que está acontecendo, ela já tomou uma decisão baseado naquilo que está captando e vendo. Suas emoções são transformadas em pequenos detalhes que deixam claras suas intenções. Portanto, você tem pouco poder sobre suas intenções, é sua mente que manda.

Imagine uma reunião com seus chefes onde você tamborila os dedos na mesa enquanto fala, é óbvio que todos acharão que você está nervoso, ou talvez distraído. Seu suor manchando a gola da camisa é apenas um detalhe, o resto do corpo já está deixando isso claro.

Os braços cruzados são um escudo, as mãos no bolso estão escondendo sua apreensão, portanto preste atenção nisso. Abra seus gestos para o diálogo. Por isso, enxerque a pessoa à sua frente e tente se aproximar dela. Não se afaste, chegue mais perto. Copie.

Quando alguém se enxerga na outra pessoa, fica mais fácil confiar nela. Afinal, é como se você estivesse falando com um espelho. Se a pessoa dá um passo para trás ela está se afastando, então lhe dê espaço, copie seu tom de voz e gestos, faça com que ela se aproxime de novo.

Imite, seja um gesto ou até um jeito de falar. Um “então” em todas as frases pode ser copiado e colocado como algo normal, o que fará com que a pessoa à sua frente não se sinta sozinha em seus vícios de linguagem.

Escute, perceba, entenda e abrace. Se torne a pessoa à sua frente e faça com que a mente aceite melhor a ideia de estar lidando com alguém tão próximo a ela.

Como persuadir uma pessoa inconscientemente

Outro jeito eficiente de entender o quanto a persuasão pode ser feita de modo inconsciente e eficaz é, justamente, através de uma proximidade através da reciprocidade. Todo mundo retribui os favores e comportamentos com que são tratados. A colaboração se torna mais natural quando uma herança precede a comunicação.

O que vem antes influencia e ajuda na hora de persuadir. Todo comportamento leva em conta aquilo que já aconteceu e que significou algo. Quase um senso de justiça que anda colado com a sobrevivência. Um favor te faz ser mais confiável e confiança sempre significou sobrevivência. E se tem uma coisa que o ser humano não permite se afastar muito é da sobrevivência.

Porém, a generosidade não pode ser óbvia. A sensação de retribuição não pode ser uma obrigação. Um favor não poder nunca ser um peso. Não cobre pelo passado, deixe que essa sensação de reciprocidade seja natural e, por que não, inconsciente.

Enquanto você valoriza alguém, é generoso e humano, é muito mais fácil dessa pessoa te conceder favores e permitir que você se aproxime dela.

Entretanto, não são precisas grandes ações complexas, um “bom dia” ou um “como vai você” simpático faz com que a pessoa se sinta obrigada a ser simpático com você e essa é a abertura que você quer para conseguir o que pretende.

Essa impressão de responsabilidade ainda fica maior quando você cria um compromisso com ela. O ser humano não lida bem com hipocrisias e contradições que possam ser julgadas pelos outros, portanto, quando um acordo é feito, o quê vem depois disso, quase sempre, segue a mesma linha.

Talvez um pedido pequeno o coloque no ritmo de uma série de decisões que se baseiem nessa primeira decisão. As pessoas não ficam confortáveis quando se contradizem. Quanto mais perto delas conseguirem enxergar essa incoerência, mais incomodadas elas ficam. Contradições e hipocrisias estão sempre ligadas a fraqueza, enquanto a coerência representa pessoas com inteligência e força.

Crie então um compromisso com as ideias que você explorará, faça a pessoa seguir por um caminho específico e deixe ela ir o mais longe possível, em um segundo momento, ofereça seu produto ou serviço, faça um pedido e ela recorrerá a tudo isso que ela fez antes.

Quando a pessoa segue o caminho que se prestou a seguir diante da primeira decisão, se sente melhor, mais inteligente e mais coerente, portanto, dê a ela essa possibilidade de se sobressair sobre as outras. O ego ainda é uma das melhores e mais eficientes armas para você usa na hora do convencimento.

Persuadir é possível. Você só precisa de técnica

Um último truque para persuadir qualquer pessoal é talvez um dos mais simples: converse. Junte tudo que você leu aqui e enxergue o quanto você só consegue fazer tudo isso se tiver um bate papo divertido com a pessoa.

Não vá direto ao assunto, seja simpático, fale, escute. Quanto mais você faz a pessoa se sentir à vontade e gostar de você, mais ela estará preparada para ser persuadida. Se você cria um vínculo e uma confiança, fica mais fácil entrar na conversa com a ideia que você quer propor.

O segredo não está na sutileza, mas no que vem antes da proposta. Tente lembrar das vezes que você comprou alguma coisa em uma praia ou qualquer lugar, porque ficou conversando com o ambulante e sentiu que deveria comprar seu produto? “Afinal, ele é tão simpático”, dizia uma voz em seu cérebro.

Encontre pontos de semelhante entre você e a pessoa, explore essas possibilidades, gostos parecidos criam pessoas mais próximas. Seja o time de futebol, um hobby, uma banda preferida. Escute e preste atenção nos detalhes, explore essas possibilidades e entrar nos pensamentos da pessoa, afinal você é parecido com ela.

Talvez ainda seja possível ir mais além, tente se vestir como essa pessoa, crie esse vínculo visual onde você será enxergado como alguém que merece ter sua atenção. São tão poucos detalhes para você usar para convencer essa pessoa, que qualquer coisa consegue ser usada e se transforma e um grade detalhe.

Expandindo ainda mais essa ideia de ser reconhecido, abuse da impressão de que todos ao redor dele já fazem aquilo. Se você está vendendo um produto ou serviço, ou simplesmente quer convencer algo de algo, experimente conseguir fazer com que a pessoa a ser convencida descubra que todos ao redor dela já tomaram aquela decisão e ele pode fazer o mesmo.

Experimente convencer uma pessoa a escolher um restaurante com o argumento de que todas pessoas estão adorando aquela comida e teve até uma matéria no jornal local falando sobre ele.

Convencer é complicado, mas é possível. E quanto mais você estudar sobre o assunto, mais facilmente fará com que toda essa dinâmica aconteça de jeito muito mais simples. Persuadir as pessoas passa pelo lado inconsciente, basta entender esses mecanismos e usá-los em favor de suas ideias, produtos e serviços, seja na vida profissional, seja na vida pessoal.